David Sanders, uma história...

I – Na Infância a Chamada Eficaz

Nasci em 1918, no dia 28 de fevereiro, na casa de meus pais, de onde não foi possível sair, pois no lugar onde moravam houve uma grande tempestade de neve. Meu pai tinha planejado mudar-se daquela fazenda naquele ano, porque era longe uns dez quilômetros da cidade mais próxima.

Nasci num tempo muito frio; mas, graças a Deus, não me lembro de nada congelando. No ano seguinte, mudamos para outra fazenda, a cinco quilômetros de uma empresa aonde íamos, muitas vezes, num trenó puxado por cavalos sobre a neve. Desses poucos dias, lembro-me que, depois, carros passavam por lá mais rapidamente.

Foi quando ocorreu, ali, uma campanha de evangelismo. Meus pais, que sempre assistiam à Igreja, naquela época, parece-me que tinham-se afastado um pouco, e na campanha houve uma renovação de suas vidas. Aceitaram a Jesus, e renovaram a aliança com Deus.

Enquanto os outros aceitavam a Jesus, eu, então com doze anos de idade (1930), fiz minha decisão. Nessa época, achei bom dar crédito a meus professores de Escola Bíblica Dominical que, ensinando-me bem a Bíblia, deixaram gravada em minha mente a necessidade de aceitar a Jesus como Salvador. Portanto, aceitei.

Mas, no fim da campanha, uma ou duas semanas depois, houve uma pregação especificamente dedicada para uma consagração especial, aos que quisessem entregar suas vidas para servir a Deus como Missionários. E só sei que, sem perceber, lá estava eu com aquele grupo na frente da Igreja, fazendo uma oração de dedicação, era o último domingo, o fim da campanha de uma igreja do campo. Meus pais, meus irmãos mais velhos e parentes ali, assistindo. Eu não fazia ideia de como poderia ser missionário, mas ficou gravado em minha mente que tinha o compromisso de ser missionário.