Esboço da Presença dos Três Principais Ramos do Movimento de Restauração no Brasil

ESBOÇO DA PRESENÇA DOS TRÊS PRINCIPAIS RAMOS DO MOVIMENTO DE RESTAURAÇÃO NO BRASIL

 

 

O nosso Movimento, que surgiu levantando a bandeira da unidade cristã e do retorno ao cristianismo simples do primeiro século, paradoxalmente não permaneceu unido. Infelizmente, existem hoje três igrejas cuja principal raiz histórica é o Movimento de Restauração ou Movimento Stone-Campbell: a Igreja Cristã (Discípulos de Cristo), as Igrejas de Cristo (A Capella) e as Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo. Como já foi dito, uma só nascente e três rios.

Este artigo tem o propósito de apresentar de forma geral a presença em nosso país das igrejas acima alistadas. Ele tem quatro pontos organizados pela ordem de chegada dessas igrejas ao Brasil e dos fatos históricos relacionados ao nosso Movimento, ou seja, da mais antiga experiência missionária até a mais recente:

1. A primeira iniciativa missionária, que não foi bem-sucedida, em 1927;

2. As Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo em 1948;

3. As Igrejas de Cristo (A Capella) em 1956;

4. A presença de missionários da Igreja Cristã (Discípulos de Cristo) em 1968.

1. A Primeira Iniciativa Missionária

Uma primeira iniciativa missionária da nossa família na fé no Brasil, mas que não foi bem-sucedida, teve início em 1927 com a chegada dos proto-missionários Orlando Boyer, Ethel Boyer e Virgil Smith. Eles foram enviados pelas igrejas "a capella" norte-americanas e se estabeleceram em Pernambuco. Em 1929 Bernard Johnson se uniu a este grupo. Até 1935 foram estabelecidas cerca de vinte congregações nos Estados de Pernambuco, Ceará e Alagoas.

Sem o apoio logístico adequado os missionários passaram por muitas privações e o trabalho não pôde continuar sendo feito. No entanto, um outro fator também contribui para a falta de apoio para esta obra evangelizadora, a equipe missionária experimentou o enchimento ou a plenitude do Espírito Santo. Logo depois deste  fato os missionários se uniram às Assembléias de Deus onde Orlando Boyer chegou a ocupar uma
posição de destaque nacional. Virgil Smith, porém, depois de uma vida dedicada a esta igreja no sul do país, terminou seus dias como membro da Igreja de Cristo no Plano Piloto (Brasília - DF) e professor de evangelismo na Faculdade Teológica Cristã do Brasil - FTCB.

Todavia, somente com a chegada do pastor Lloyd David Sanders (Christian Church / Church of Christ) em 25 de março de 1948 as igrejas da nossa família na fé tiveram a sua primeira experiência missionária bem-sucedida em nosso país. Por essa razão ele é considerado o pioneiro do Movimento de Restauração no Brasil. Falaremos mais sobre isso adiante.

2. As Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo: A Igreja Evangélica Que Mais Cresce nos EUA

Entre 1920 e 1968 os Discípulos de Cristo passaram por várias mudanças e iniciaram um processo de reestruturação que culminou na sua atual estrutura denominacional designada como Igreja Cristã (Discípulos de Cristo). Muitos Discípulos chamados "independentes", aproximadamente duas mil igrejas, discordaram dos rumos desse processo e em 1955 deixaram a comunhão. As igrejas locais dos Discípulos "independentes" são identificadas pelos nomes "Igreja Cristã" e "Igreja de Cristo", como no início do nosso Movimento. As primeiras sempre são confundidas com as congregações dos Discípulos de Cristo e as outras com os anti-instrumentais.

Em 1968 essas igrejas independentes se juntaram com outras duas mil congregações que resistiram até o fim à centralização dos fundos, missões, organizações e etc. dos Discípulos de Cristo. As Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo possuíam cerca de quatro mil e quinhentas igrejas locais e tinham uma membresia superior a um milhão e cem mil irmãos nos EUA. As suas posições são consideradas "centristas" dentro do Movimento Stone-Campbell.

Edwin Hayden, um dos editores do "Christian Standard" enumerou quatro razões pelas quais se deu esta separação:

1) A federação em atividades interdenominacionais. Os Discípulos independentes não aceitaram o ecumenismo;

2) O liberalismo. Os Discípulos independentes também não aceitaram "a alta crítica da Bíblia" que influenciou muitas denominações cristãs no fim do século XIX;

3) A membresia aberta, amparada e aceita, e as vezes praticada. Os Discípulos independentes resistiram em aceitar os que foram aspergidos, não imersos, como membros da Igreja;

4) A delimitação do campo e das atividades missionárias através de acordos (por isso não há igrejas locais dos Discípulos de Cristo no Brasil). Essa prática foi uma conseqüência da cooperação com as denominações ecumênicas.

Na última década do século XX as Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo se tornaram o segundo grupo religioso que mais cresce nos EUA, estando atrás apenas dos Mórmons. Entre as igrejas evangélicas obtiveram a maior taxa de crescimento anual: 16% entre 1990 e 2000. Tudo isso devido a uma forte ênfase no evangelismo e no treinamento dos ministros, pois foram construídas em torno de trinta faculdades bíblicas para este fim.1

A história das Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo no Brasil se confundem com a do pastor Lloyd David Sanders, o pioneiro do Movimento de Restauração no Brasil, que desembarcou aqui com sua esposa D. Ruth Sanders em 1948. Clinton J. Holloway escreveu que a Missão Cristã do Brasil iniciada por Sanders, naquela ocasião, era uma das duas organizações missionárias dos Discípulos independentes, a outra era a Sociedade Evangelística Européia.2

Por oportuno, convém lembrar que as congregações locais das Igrejas Cristãs e Igrejas de Cristo no Brasil adotam usualmente o nome "Igreja de Cristo".

Aos Sanders se juntaram J. Richard e Carolee Ewin, Ruth Spurgean e Ellen Case logo nos primeiros anos. Em 1952, Bill e Virginia Loft iniciaram o trabalho em Belém - PA e depois de anos de serviço os Loft's foram para Portugal. Também no Pará, Clinton Benjamin e Phyllis Thomas iniciaram trabalhos na década de 1950 em Belém e Macapá (1958). Os Thomas também abriram o trabalho na região amazônica, na cidade de Urucará – AM em 1965. “É impossível falar do trabalho no norte do Brasil sem mencionar Richard Robison (1954-1972), David Bayless  (desde 1957) e James Moreland (desde 1961) entre outros personagens”, relata Timothy Thomas, que realizou importantes contatos com os irmãos de Moçambique e Angola. Há ainda Norman e Patty Maddux que estão em Belém - PA desde 1968. Thomas e Libby Fife chegaram ao Brasil em 1965 e permaneceram até 1991. Jeff e Mônica Fife, filho e nora, são considerados herdeiros do trabalho iniciados pelos Fife's em nosso país, pois Robert Fife é missionário em Portugal. O Pr. Ozório Gonçalves relata que nas décadas de 1960 e 1970 Arthur Carter se estabeleceu em Belo Horizonte - MG, Eugene Smith em São Paulo - SP, Gerald Holmquist em Anápolis - GO e Dale H. McAfee em Ceres - GO. Bill Loft, vindo do Pará se estabeleceu em Taguatinga - DF e Bill Metz no Gama - DF. Earl e Ruth Haubner (Central Brazil Mission) e Phillip Keith McAfee e sua família também são dignos de referência. Talvez haja outros que não tomamos conhecimento ainda e foram injustamente esquecidos, mas estamos prontos para corrigir e completar as informações acima.3

A Igreja de Cristo no Brasil, que está celebrando em 2008 o seu 60º Aniversário, mantém as seguintes instituições e serviços:

1) Missão Cristã do Brasil - MCB que tem como objetivo abrir igrejas no Brasil e exterior, realizar trabalhos de apoio e logística para missionários. Além disso, a MCB realiza trabalhos de assistência social, preparo teológico e missiológico através das instituições que apoia. Ela também promove a comunhão entre os obreiros e pastores das Igrejas de Cristo. A MCB enviou e mantém missionários brasileiros em Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Portugal, Jordânia, Inglaterra (trabalhando com a comunidade de imigrantes da Índia), Líbano, Paraguai e EUA (com a comunidade de imigrantes brasileiros em Atlanta);

2) O Centro de Treinamento Missionário Lloyd David Sanders - CTM que é uma escola de formação missionária em regime de internato localizado no Distrito Federal;

3) A Faculdade Teológica Cristã do Brasil - FTCB em Brasília - DF;

4) O Concílio Ministerial das Igrejas de Cristo no Brasil;

5) A União da Mocidade das Igrejas de Cristo - UMIC e os seus Congressos (COMIC);

6) Várias entidades de assistência social como o Projeto Integral de Vida - PRÓ-VIDA;

7) Os Encontros de Atualização Teológica (Atualização Ministerial e Eclesiástica);

8) A Convenção Nacional;

9) O periódico "O Mensageiro";

10) O site www.movimentoderestauracao.com, idealizado pelo pastor Ozório Rodrigues Gonçalves, é o maior na América Latina e o primeiro em língua portuguesa sobre o Movimento de Restauração;

11) E inúmeros outros Congressos (Homens, Mulheres), Conferências Missionárias, Acampamentos, Campanhas Evangelísticas, entidades assistenciais, Seminários (como o de Pires do Rio - GO) e Faculdades (como a FATIC em Goiânia - GO).

Por fim, ainda segundo Clinton J. Halloway, um dos organizadores da Convenção Mundial, as recentes estatísticas mostram que existe hoje cerca de 440 Igrejas de Cristo (Independentes) no Brasil com uma membresia aproximada de 90.000 irmãos. Ele ainda diz que há algumas "mega-igrejas" com mais de 1500 membros. Halloway afirma que há cerca de 80 igrejas no Distrito Federal, 300 congregações no Estado de Goiás e 60 igrejas em vários outros Estados.4 Essses dados, no entanto, já não são precisos hoje.

2. As Igrejas de Cristo (A Capella) e Algumas de Suas Subdivisões

David Lipscomb, Benjamin Franklin, Moses E. Lard, J. W. McGarvey e Daniel Sommer contribuíram com suas idéias, decisivamente, para a formação das Igrejas de Cristo (A Capella) como um corpo separado. Esse fato ocorreu oficialmente em 1906, no início do Século XX, ou seja, cerca de cem anos depois do início do Movimento de Restauração e aproximadamente setenta anos depois da unificação do mesmo.

Concentradas especialmente no sul dos EUA, as Igrejas de Cristo (A Capella) seguiram as antigas posições defendidas pelo jovem e polemista Alexander Campbell do início do nosso Movimento. "Diz-se que as Igrejas de Cristo "anti" têm dois pais, um no norte e outro no sul: Daniel Sommer e David Lipscomb".5 Daniel Sommer, inclusive, passou a vida atacando agressivamente todas as igrejas que haviam introduzido "inovações" ou "abominações", tais como sociedades, coro ou corais, ministros em tempo integral e etc.

As Igrejas de Cristo (A Capella) permaneceram radicalmente "restauracionista", mas não são unidas. Cecil Hook começa o primeiro parágrafo do capítulo um do seu livro "Libres en Cristo" dizendo: "Estamos divididos! Enquanto nós, na Igreja de Cristo, temos o propósito fervente da unidade, seguimos nos dividindo continuamente. A mensagem que proclamamos com a esperança de criar unidade é a mesma que causa divisão, devido a sua própria natureza... Cada fragmento, produto da divisão, reivindica ser a única igreja verdadeira. Os da esquerda sempre vêem de forma tolerante os da direita, mas os da direita condenam os da esquerda. Ambos, os de esquerda e os da direita, comumente se separam daqueles que não se denominam (nomeiam) Igreja de Cristo".6

As igrejas "a capella" chegaram ao nosso país no ano de 1956 com os missionários Arlie e Alma Smith, oito anos depois do início do trabalho dos "Discípulos independentes" (Igreja Cristã e Igreja de Cristo) no Centro-Oeste. Eles iniciaram em São Paulo a primeira igreja deste ramo no Brasil e em 1960 já existiam duas congregações com mais de quarenta e cinco membros.

Aos Smith´s se agregaram treze famílias de missionários em 1964. No ano seguinte Arlie e Alma Smith se mudaram para o Rio de Janeiro para começar uma nova igreja. Em 1967 foi aberto um trabalho em Belo Horizonte e outro em Porto Alegre com Allen Dutton. Em 1968 Walter Kreidel inicia o trabalho em Curitiba. E no início dos anos 1980 foram estabelecidas igrejas nas principais capitais do país.

Estima-se que existam cerca de 120 congregações "a capella" e cerca de sete mil membros no Brasil. A Igreja de Cristo (A Capella) mantém as seguintes instituições e serviços:

1) A Escola da Bíblia em todo país;

2) O Seminário Bíblico Nacional em São Paulo - SP (e núcleos pelas igrejas);

3) O Seminário EBNESR em Recife - PE;

4) O Seminário SerCris em Campo Grande - MS;

5) Uma missão médica em Campinas - SP sob a direção do Dr. Allen Dutton Jr.;

6) O Lar Cristão para crianças em Nova Iguaçu - RJ;

7) Publica a revista mensal Edificação;

8) E a Editora Vida Cristã fundada por Alaor Leite, que foi presidente da Associação Brasileira dos Editores Cristãos - ABEC, uma entidade evangélica.

Algumas das inúmeras subdivisões das igrejas a capella também desembarcaram no Brasil. O grupo que é hoje mais identificado como "Anti-Cooperativo" ficou muito conhecido pela distribuição de literatura gratuita pelos correios. Já a Igreja de Cristo Internacional - ICI, que esteve envolvida em uma grande polêmica com o Instituto Cristão de Pesquisas - ICP sendo matéria de capa da sua revista "Defesa da Fé", também está presente no Brasil.

As igrejas "a capella" e seus vários subgrupos são caracterizadas pelo exclusivismo, proselitismo intenso e radicalismo. Por essa razão muitos as consideram como um grupo controvertido ou, inapropriadamente, até mesmo uma seita.

Ainda quanto às inúmeras divisões deste ramo, o próprio guia de congregações das Igrejas de Cristo (A Capella) nos EUA alista doze subgrupos. A "Enciclopaedia of American Religions" de J. Gordon Melton cita alguns deles:7

1) As que usam apenas um copo na Ceia do Senhor, formado em 1915 em Chattanooga, Tennessee (periódico: Old Parths Advocate);

2) Os pré-milenialistas surgidos por volta de 1930 em Lousville, Kentucky (periódico: The Word and Work);

3) As que se opuseram à Escola Bíblica Dominical em 1936 na cidade de San Angelo, Texas (periódico: Gospel Tidings);

4) As não-institucional (periódico: Guardian of Truth);

5) As conservadores do Florida College, em Tampa, Florida;

6) As pentecostais no fim dos anos 1960 em Nashville, Tennessee.

E Cecil Hook diz que Phillips chama a atenção para a existência de "trinta divisões com base em diferenças doutrinárias" nas Igrejas de Cristo (A Capella) e ainda alista onze divisões baseadas em distinções doutrinárias e práticas.8

Samuel Dawson, no livro "O Que Está Mal com a Maioria das Igrejas de Cristo e Como Podem Evitar a Extinção", escreveu que nos últimos cinqüenta anos (entre 1955 e 2005) as Igrejas de Cristo (A Capella) nos EUA diminuíram de 3.000.000 para 1.267.000 membros. O número de congregações, segundo ele, também caiu de 18.000 para 12.963 igrejas locais. Só que, no mesmo período, enquanto as Igrejas de Cristo (A Capella) decresceram 58% a população dobrou. Dawson afirma que a taxa média de diminuição das Igrejas de Cristo (A Capella) é de 1,16% ao ano, o que representa uma saída anual de 34.600 membros. Para ele, decrescendo nesse ritmo, as Igrejas de Cristo (A Capella) deixarão de existir nos EUA por volta do ano 2042.9

Aqui cabe uma palavra sobre a Igreja Refúgio da Graça em Natal - RN. Esta igreja tem origem no grupo "a capella" do Movimento Stone-Campbell e é mantida pela Oak Hills Church, pastoreada pelo renomado escritor evangélico Max Lucado. Ele, por sinal, foi missionário aqui no Brasil, no Estado do Rio de Janeiro, enviado pelo grupo "a capella" há muito tempo atrás. Max Lucado e a Oak Hills Church se tornaram um bom exemplo do amadurecimento que alguns irmãos do ramo a capella do nosso Movimento têm alcançado. Por isso ele e a Oak Hills Church passaram a ser olhados com rejeição pelos mesmos. A Igreja Refúgio da Graça é parte integrante do nosso Movimento no Brasil (Efésios 4:1-7).

3. A Igreja Cristã (Discípulos de Cristo)

A Igreja Cristã (Discípulos de Cristo) é o mais antigo e o menor dos três rios que nasceram do Movimento de Restauração de Stone e Campbell. Influenciados pelo liberalismo teológico do fim do século XIX se tornaram uma igreja altamente ecumênica que tem cerca de 800 mil membros nos EUA e Canadá.

Após um período de reestruturação concluído em 1968 os Discípulos de Cristo passaram a se organizar da seguinte maneira:

1)  As igrejas locais, governadas por anciãos;

2) As unidades regionais, governada pela Assembléia Regional;

3) A igreja geral, governada pela Assembléia Geral.

A Igreja Cristã (Discípulos de Cristo) está presente no México (desde 1890), Porto Rico (desde 1899), Argentina (desde 1905) e Paraguai (desde 1918). Os Discípulos de Cristo de Porto Rico estabeleceram igrejas na Colômbia, Venezuela, República Dominicana e em outros países latino-americanos. Nos EUA, assim como outras denominações históricas, os Discípulos de Cristo estão estagnados ou decrescendo.

Não há igrejas locais deste ramo mais liberal e ecumênico do Movimento Stone-Campbell no Brasil.  No entanto, em 1968 o missionário David Blackburn se envolveu com um trabalho social no bairro do Alto da Bondade em Recife, Estado de Pernambuco. Jane Blackburn, sua viúva, continuou o trabalho até hoje. Há dois trabalhos associados com a Igreja Presbiteriana do Brasil e com a Igreja Metodista, esse último no Nordeste.10

Eis aqui, resumidamente, um esboço das igrejas com origem no Movimento de Restauração de Stone e Campbell no Brasil.

 

Pedro Agostinho Jr.
Pastor da Igreja de Cristo

www.opresbiterocristao.blogspot.com

 

1 Segundo Flavil Yeakley, diretor do Instituto do Crescimento da Igreja na Universidade de Harding.
2 Artigo de Clinton J. Holloway sobre o Brasil no site da Convenção Mundial: www.worldconvention.org - April 2004
3 Ob. cit.
4 Ob. cit.
5 SOTO, Fernando. La Reforma Presente, pág., 107.
6 HOOK, Cecil. Libres en Cristo, pág. 04.
7 MELTON, J. Gordon. Enciclopaedia of American Religions, pág. 478 a 481.
8 HOOK, Ob. cit., pág. 06.
9 Informação disponível na Internet: www.elevangeliodelreino.org
10 For further historical reference: Fonte: Site da Convenção Mundial: www.worldconvention.org