18ª Convenção Mundial das Igrejas de Cristo - "Compartilhando o amor que nos une"

18ª Convenção Mundial das Igrejas de Cristo - “Compartilhando o amor que nos une”
25 a 28 de julho de 2012, Goiânia, Brasil

Por Pedro Agostinho Jr.*

A Convenção Mundial das Igrejas de Cristo existe, segundo a sua declaração de missão, “para mostrar de forma mais completa a essência de unidade das Igrejas no Senhor Jesus Cristo; para edificar a comunhão, entendimento e propósito comum dentro das Igrejas Cristãs, Igrejas de Cristo, Discípulos de Cristo, a nossa família global (inclusive igrejas unidas cujos membros têm aderido); de encorajar e inspirar estas igrejas em seu serviço, ministérios proféticos e reconciliadores; de providenciar meios de relacionar a nossa família global à Igreja do Senhor Jesus Cristo; e de cooperar com Cristo pela unidade da Igreja com base nas Escrituras do Novo Testamento”.

A primeira Convenção Mundial aconteceu no distante ano de 1930 e tinha como propósito a comunhão e a cooperação entre as igrejas com origem no Movimento Stone-Campbell do mundo todo. Ela foi idealizada e organizada pelo Dr. Jesse M. Bader, membro dos Discípulos de Cristo, e contou com cerca de dez mil participantes. Vários países já tiveram a oportunidade de sediar a Convenção Mundial. Além dos EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália, Porto Rico, México, Jamaica e Nova Zelândia tiveram esse privilégio. Confira a seguir o ano e o local onde foram realizadas todas as outras convenções:

1930 – Washington, EUA
1935 – Leicester, Reino Unido1947 – Buffalo, EUA
1952 – Melbourne, Austrália
1955 – Toronto, Canadá
1960 – Edinburgh, Reino Unido
1965 – San Juan, Porto Rico
1970 – Adelaide, Austrália
1975 – Cidade do México, México
1980 – Honolulu, EUA
1984 – Kingston, Jamaica
1988 – Auckland, Nova Zelândia
1992 – Long Beach, EUA
1996 – Calgary, Canadá
2000 – Brisbane, Austrália
2004 – Brighton, Reino Unido
2008 – Nashville, EUA

Em 2012 coube às Igrejas de Cristo no Brasil organizar a 18ª. Convenção Mundial. Foi a primeira vez que ela aconteceu na América do Sul e em um país de língua portuguesa. Goiânia, Goiás, foi escolhida para ser a sede. A primeira Igreja de Cristo em nosso país foi implantada por Lloyd David Sanders em 1948 no bairro de Vila Nova em Goiânia. Hoje, as Igrejas de Cristo no Brasil são compostas por mais de cem mil irmãos e cerca de mil igrejas. Muitas delas localizadas no Centro-Oeste brasileiro, especialmente em Goiás e em Brasília, Distrito Federal. A escolha de Goiânia se deu por essa razão também, pois foi lá que as Igrejas de Cristo começaram em nosso país.

Goiânia é uma cidade moderna, planejada, inaugurada em 1942, que encanta a todos quantos a visitam. Ela está entre as capitais brasileiras com melhor qualidade de vida e é considerada a capital da Marcha para o Oeste do Brasil. Goiânia tem uma rica cultura, herdada dos mais variados imigrantes, e conta com inúmeros parques e áreas verdes com sua diversificada fauna e flora.

B. J. Mpofu, presidente da Convenção Mundial, junto com Victor Hugo Queiroz, vice-presidente da Convenção Mundial e presidente do Concílio Ministerial das Igrejas de Cristo no Brasil, abriram os trabalhos com um Culto na quarta-feira, 25 de julho. Nos dias que se seguiram houve palestras no auditório principal, workshops, a Convenção de Mulheres e o Congresso de Jovens. A Convenção Mundial das Igrejas de Cristo transcorreu nas dependências da Videira Igreja em Células do pastor Aluizio A. Silva.

Ministraram na Convenção Mundial os seguintes irmãos e irmãs: B. J. Mpofu (Zimbábue), Victor Hugo Queiroz (Brasil), Jerry Taylor (EUA), Kang Pyung Lee (Coréia do Sul), Waina Tedesco (Brasil), Brent Liebezeit (Nova Zelândia), Douglas Foster (EUA), Newell Williams (EUA), Karen Alexander (EUA), Valdeci José da Silva (México), Holly Allen (EUA), Merrill Kitchen (Austrália), Maura Borges (Brasil), Gordon Dabbs (EUA), Mark Weedman (EUA), Saleem Masey (Paquistão), Luís Antônio (Brasil), Renata Cabral (Brasil), Geraldo Borges (Brasil), William Baker (EUA),  Robert Wetzel (EUA), Antenor Gonçalves (Brasil), Chris Baigent (Nova Zelândia), Joana D´arc Souza (Brasil), Gary Weedman (EUA), Edson Gouveia (Brasil), Andrew Menzies (Austrália), David Levistone (Brasil), Robert Fife (Portugal), Earl Lavender (EUA), Joaquim Pereira (Brasil), John Gilmore (Austrália), Iran Bernardes (Brasil), Leonard Thompson (Índia), Ulysses Oliveira (Brasil), Michael Householder (EUA), Harry Scates (Brasil), John Gilmore (Austrália), Craig Brown (Austrália), Geraldo Caetano (Brasil), Mônica Fife (Brasil), LeeAnne Blackmore (EUA), Divina Márcia Pereira Sintra (Brasil), Gerson Vicente (Brasil), Carlinhos de Queiroz (Brasil), Marj Dredje (EUA), Daisy Machado (Brasil), Samuel Twumasi-Ankrah (Gana) e Carlos Queiroz (Brasil).

Dois momentos foram especialmente marcantes. O reconhecimento prestado pela Convenção Mundial, em conjunto com as igrejas brasileiras, ao pioneiro do Movimento Stone-Campbell no Brasil, pastor Lloyd David Sanders. Ele e sua esposa, Ruth Sanders, chegaram ao Brasil no dia 25 de março de 1948, desembarcando na cidade do Rio de Janeiro. No dia 7 de setembro de 1948, Lloyd David Sanders iniciou a primeira Igreja de Cristo na cidade de Goiânia, Goiás. Posteriormente, ele se transferiu para Brasília, Distrito Federal, onde recebeu o lote 001 para templos religiosos na capital da República, situado na EQS 305/306, no Plano Piloto. O pastor Lloyd David Sanders é pioneiro do Movimento Stone-Campbell em terras brasileiras.

O outro momento foi a justa homenagem ao pastor Ozório Rodrigues Gonçalves, uma das colunas do nosso Movimento no Brasil. O pastor Ozório R. Gonçalves tem sua história muito ligada a do pastor Lloyd David Sanders. Ele foi uma das primeiras crianças que se entregaram a Jesus no início do trabalho dos Sanders no Brasil. Pastoreou igrejas em Minas Gerais e Distrito Federal. Foi professor e reitor da FTCB – Faculdade Teológica Cristã do Brasil em Brasília. Por vários anos esteve à frente do periódico O Mensageiro das Igrejas de Cristo, o principal órgão da nossa comunhão. Ele tem sido o grande historiador das Igrejas de Cristo no Brasil, é o idealizador e mantenedor do primeiro site sobre a nossa história fora dos EUA e Comunidade Britânica, da América Latina e em língua portuguesa, o site MR – Movimento de Restauração (www.movimentoderestauracao.com). Eu tenho recebido a honra de ser seu discípulo e colaborador.

Fizeram parte da Comissão Organizadora da 18ª. Convenção Mundial das Igrejas de Cristo os seguintes irmãos e irmãs: Agostinho Lopes, Aristides de Gusmão, Célia Miranda, Danilo de Oliveira, David Levistone Jr., Earl Francis Haubner, Edilson Rodrigues, Elídio Berthduci Neto, Evaldo Fernandes, Flávio Fonseca, Francisco Lima e Silva, Geraldo Borges, Geraldo Castro, Gerson Vicente de Sousa, Iolanda Cabral Sousa, João Márcio da Silva, Lázaro José Pires, Leila Gonçalves, Luís Roberto Dias, Luiz Antônio de Castro, Marlon Glacer, Ozório Rodrigues Gonçalves, Philip McAfee, Rafael Bonfim, Renata Cabral Vicente, Ricardo Lima de Araújo, Roberto Rodrigues, Rubens Lelis, Sandro Bezerra, Ulysses Oliveira, Vander Ribeiro, Verlaini Tadeu e Victor Hugo Queiroz.

Como conheci Jesus nas Igrejas de Cristo a capella, estudei em um dos seus seminários e servi ao Senhor com esses irmãos, embora hoje o meu comprometimento com as Igrejas de Cristo / Cristãs do Centro-Oeste brasileiro seja público e notório, tive a honra de acompanhar a integração à Convenção Mundial de uma das maiores delegações desse ramo do nosso Movimento, vinda de Pernambuco e capitaneada por Phillip Grassie. Sem a ajuda dos pastores Agostinho Lopes e Marlon Glacer não teria sido possível. Muito obrigado. Vale salientar que nunca os irmãos do ramo a capella do nosso Movimento estiveram tão presentes em uma Convenção Mundial como ocorreu neste ano. Douglas A. Foster, Antenor Gonçalves, João Cruz foram algumas das lideranças que estiveram presentes.

Seria injusto não destacar o trabalho voluntário de centenas de colaboradores e tradutores. Sem eles a Convenção Mundial não teria sido o sucesso que foi. Parabéns! Recebam os nossos sinceros agradecimentos.

Assim como começou, a 18ª Convenção Mundial foi encerrada com um Culto a Deus e a celebração da Ceia do Senhor. Voltamos para as nossas cidades com a certeza de ter participado de uma das melhores convenções de todos os tempos. Mais do que isso, com a satisfação de ter visto as Igrejas de Cristo no Brasil organizar um evento dessa envergadura. Talvez alguns tivessem duvidado da nossa capacidade, o inimigo das nossas almas fez tudo que pôde para atrapalhar, mas o povo de Deus, com muito trabalho e oração, recebeu graça da parte do Senhor e realizou a maior Convenção Mundial das Igrejas de Cristo dos últimos tempos. A Deus toda a glória!