David Sanders, uma história... - VII – As Férias

VII – As Férias

Nesse primeiro fim de ano, fui para casa, de férias... Lá, visitei as igrejas do nosso município, já era conhecido delas, pois ainda jovem me associara nas convenções, antes de ir para a Faculdade. E tive seis congregações que se reuniram para conferências. Era, também, uma espécie de meus patrocinadores, ainda que não direta, mas indiretamente.

Então, fui visitando as igrejas e oferecendo-me para pregar em cada uma delas. Foi o que fiz naquelas férias, visitar e pregar nas igrejas.

Quando terminei o segundo ano, fui visitar uma das igrejas que não tinha pastor; ofereci-me para pastoreá-la durante as férias, e o fiz. Aí, descobri uma outra, a poucos quilômetros de distância, também sem pastor. Eram dois vilarejos, uns vinte quilômetros um do outro, e pastoreei essas duas igrejas.

Em uma, ia cedo para a Escola Dominical. À noite, eu me dirigia a outra.

Assim, passava as férias. E, também, trabalhando nas fazendas de meus irmãos, para ganhar mais dinheiro. Ganhava mais dinheiro trabalhando do que pregando; quando pregava ganhava pouco...

Enfim, voltei para a Faculdade com dinheiro para pagar novo semestre, mas só a metade; a outra eu consegui trabalhando, mas só quinze horas por semana.